Aula na UFS

Projeção pronta, só aguardando a hora de iniciar a aula.

A mais recente aula ministrada foi na Universidade Federal de Sergipe (UFS), dia 19 de junho de 2018. O intento foi de disputar vaga na seleção para Professor Substituto do Núcleo de Ciências da Religião. Na modalidade escolhida por mim, Religião e Educação, todos os candidatos tiveram que ministrar aula sobre História e Materiais Didáticos do Ensino da Religião. Agora é aguardar a avaliação dos examinadores. O syllabus da aula pode ser consultado AQUI; porém, só estará disponível após o resultado final da avaliação para não interferir na condição reservada do processo seletivo.

Independente do resultado, vale dizer que poucas coisas são tão gratificantes quanto a oportunidade de ministrar aula num centro de formação acadêmica. Soli Deo Gloria.

Aspecto da sala de aula antes de iniciar a avaliação.

OMNIA EX UNO

Aula no SETEBASE

No último dia 09 de junho tive a satisfação de ministrar aula a uma turma de teólogos que se mostraram aplicados como alunos e muito dispostos ao aprendizado. Qualidades que precisam ser ressaltadas!

Nosso encontro aconteceu no Seminário Teológico Batista Sergipano (SETEBASE), que em 2018 celebra 30 anos de atividades dedicadas ao saber teológico no serviço do SENHOR em Sergipe.

Nessa oportunidade expus aos alunos de pós-graduação os fundamentos teóricos e componentes curriculares da disciplina Metodologia do Ensino das Ciências da Religião.

Terminei a aula com a correta sensação de que a sociedade sergipana, em geral, e a comunidade batista em Sergipe, em particular, terão nesta turma profissionais aplicados ao estudo e à piedade e bem preparados teológica e academicamente.

Inaugurado o programa editorial do GPDAS/UFS

Na noite de 21 de fevereiro de 2018, o Grupo de Pesquisa Diáspora Atlântica dos Sefarditas,  vinculado à Universidade Federal de Sergipe (GPDAS/UFS) inaugurou seu programa editorial com o lançamento do livro NEFESH PEREGRINA: transmigrações e rotas da diáspora judaica.

Eis a palavra de apresentação trazida ao evento pelo prof. Dr. Marcos Silva, coordenador do GPDAS/UFS:

A referida obra traz 9 capítulos escritos por alguns dos pesquisadores membros do GPDAS. São textos que abordam de forma variada temas comuns que motivam suas investigações, quais sejam, as características histórico-religiosas dos judeus que se dispersaram ao mundo a partir da Península Ibérica pelas mais diversas rotas migratórias. O livro, publicado pela Editora CRV, reúne as seguintes análises:

ASPECTOS DA HISTORIOGRAFIA JUDAICA SOBRE A EXPERIÊNCIA SEFARDITA NO MUNDO ATLÂNTICO. SÉCULO XVI AO XIX.
Marcos Silva

A CONSCIÊNCIA HISTÓRICO-RELIGIOSA DOS SEFARDITAS NA EXPERIÊNCIA DE JUDÁ ABRAVANEL (LEÃO HEBREU) EM SUA ERRÂNCIA DE SER-EM-EXÍLIO.
Gilmar Araujo Gomes

APRESENTAÇÃO E TRADUÇÃO DAS PROPOSIÇÕES I-IX, LIVRO I, DA PUERTA DEL CIELO, DE ABRAHAM COHEN DE HERRERA.
Rodrigo Pinto de Brito

O JUDAÍSMO SECRETO DE ANTÔNIO JOSÉ DA SILVA, O JUDEU: trajetória e possibilidades de uma vida atormentada.
Josevânia Souza de Jesus Fonseca

A SEXUALIDADE NO MEIO CRISTÃO-NOVO: a formação do Capital Erótico no grupo familiar de Leonor Nuñez.
Nilton Bruno Feitosa Santana

BREVE PANORAMA DAS LEIS ACERCA DOS CRISTÃOS-NOVOS E JUDEUS NOS DOCUMENTOS OFICIAIS DA INQUISIÇÃO PORTUGUESA.
Priscilla da Silva Góes

CONTRA A “GRANDE LIBERDADE”: as interferências de calvinistas e católicos contra a liberdade de consciência religiosa conferida aos judeus no Brasil holandês.
Nelson Santana Santos

REPRESENTAÇÕES DE “IMAGINADAS” IDENTIDADES JUDAICAS NO MUNDO ANTIGO.
Thiago Borges de Santana

RIKUD VIRA-LATA: um título metafórico para uma dança que aborda um corpo híbrido de um judeubrasileiro/brasileirojudeu na contemporaneidade.
Fernando Davidovitsch

A atividade acadêmica, conduzida pela profa. Ma. Priscilla Góes, foi adornada com música sefardita em idioma ladino, a língua ibérica falada pelos sefarditas. As canções foram executadas pelo grupo formado pelos músicos Vanessa Góes; Juliana Góes; Marcus Vinícios e Pedro.

A programação seguiu com os autores expondo resumidamente as ênfases abordadas em seus respectivos capítulos, e respondendo perguntas do atento auditório que se formou. A noite concluiu-se com autógrafos nos exemplares vendidos durante o evento.

Profa. Ma. Priscilla Góes na condução do evento

Aspecto do auditório presente ao evento.

Autores expondo suas temáticas e respondendo questionamentos:

Autógrafos dos autores:

Registre-se que o sucesso e a dinâmica do evento muito se deveu ao apoio dos colegas Ernania Santana, Arilson Santana, Carol Goes e Claudemir Braz, que lá estiveram somando esforços e representando os demais membros do GPDAS/UFS que, por motivos justificados, não puderam estar presentes.

Vencida esta etapa, o GPDAS/UFS retoma sua dinâmica acadêmica, desenvolvendo as pesquisas que seus membros empreendem sobre os judeus sefarditas em diáspora pelo mundo. Certamente novos livros surgirão, contribuindo com as mais atuais e significativas reflexões sobre uma temática tão vasta e ainda carente de análises aprofundadas como as que compuseram o livro NEFESH PEREGRINA: transmigrações e rotas da diáspora judaica.


AD ASTRA PER ASPERA.

CONVITE: Lançamento do livro NEFESH PEREGRINA

Lançamento do livro Nefesh Peregrina: Transmigrações e rotas judaicas.
Dia 21.02.2018 (quarta-feira)
Local: Auditório da ADUFS (Universidade Federal de Sergipe, campus S. Cristóvão)
Horário: 19 horas

PROGRAMAÇÃO:
Música Sefardita: Vanessa Góes; Juliana Góes; Marcus Vinícios e Pedro.
Conversa com os autores;
Debate;
Coffebreak;
Autógrafos.

Este livro reúne 9 artigos dos membros do GPDAS (Grupo de Pesquisa Diáspora Atlântica dos Sefarditas) ao qual estou vinculado na UFS.

O evento é referente ao lançamento oficial da obra. Nessa noite cada um dos autores terá uma breve palavra. Este que vos escreve também falará (ordem do índice rsrsrs).

Leia a Sinopse que apresenta a obra, escrita pelo organizador, Prof. Dr. Marcos Silva: “Nefesh” é o primeiro nível da alma-consciência, segundo a interpretação cabalística. Diz respeito às necessidades básicas de sobrevivência. Assim, é uma metáfora adequada para significar a “civilização de diáspora” que os judeus formaram: os judeus, no caso específico dos estudos aqui apresentados, judeus Sefarditas, possuem uma “nefesh peregrina” em sua essência.
Os textos que você terá o privilégio de ler nesse livro são o fruto das atividades de investigações, orientações, debates, reuniões acadêmicas, diálogos ricos e instigantes que caracterizam a vivência dos que participam do Grupo de Pesquisa Diáspora Atlântica dos Sefarditas (GPDAS), devidamente credenciado no Diretório de Grupos de Pesquisa do CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico), pela Universidade Federal de Sergipe. A obra contribui de forma inovadora para a compreensão da história da diáspora dos Sefarditas conversos judaizantes. Conceitos da historiografia judaica ainda não aplicados pelos estudiosos no Brasil são introduzidos e, sobretudo, iluminam ainda mais a importância da Cabala na guerra cultural multissecular dos sefarditas contra o etnocídio intentado pelo integralismo Católico Apostólico Romano. No momento em que significativa parcela da população brasileira redescobre sua ancestralidade judaico sefardita, recalcada pelo imperativo da sobrevivência, o GPDAS cumpre seu papel social de iluminar com novas abordagens essa história intrigante.

Minha contribuição na obra tratou do tema A Consciência Histórico-Religiosa dos Sefarditas na Experiência de Judá Abravanel (Leão Hebreu) em sua Errância de Ser-em-Exílio. Investiguei a vida do autor de Os Diálogos de Amor a partir de um princípio de identificação com as experiências dos judeus sefarditas. Afinal, como disse João Vila-Chã, seu biógrafo, “o destino pessoal de Leão Hebreu interessa-nos […] como http://dialogo-abravanel.blogspot.com.br/expressão do destino e do sofrimento do povo judeu.”

Cada exemplar do livro será vendido a R$ 35,00 (o preço da editora, sem frete). O arrecadado, além de cobrir o custo desta edição (que ainda não está totalmente paga), apoiará o grupo de pesquisa para as próximas publicações desejadas.

Caso não possa ir ao evento, mas deseje apoiar o GPDAS adquirindo livro, comunique-me [ EMAIL: contato@gagomes.com ] que separaremos um exemplar a preço de custo. Se preferir, adquira diretamente com a Editora CRV.

Se estiver lá, será um prazer abraçá-lo.

AD ASTRA PER ASPERA.

III Semana de Estudos Avançados na ABC²

 


Iniciando as atividades em 2018, de 31/jan a 04/fev participei da III Semana de Estudos Avançados da ABC³ (Associação Brasileira de Cristãos na Ciência), em Confins/MG.

Tempo precioso para reflexão, debate e estudos abordando a relação entre ciência e fé. Numa programação intensa, mais de 40 alunos de várias partes do Brasil (secundaristas, graduados, mestres e doutores), estudantes e profissionais fazendo pesquisa em diversas instituições acadêmicas (UNICAMP, UFMG, USP, UFRJ e outras) compartilharam conhecimento comum a partir de suas áreas específicas (física, sociologia, psicologia, biologia, engenharia, teologia, química, direito, administração, filosofia, etc.), sobre os mais recentes debates acadêmicos no Brasil e restante do mundo.

Num agradável ambiente de interação cristã, fomos desafiados a partir da análise de questionamentos, extensa fonte de consulta e uma importante bibliografia que vem sendo formada a partir de traduções recentemente publicadas pela Editora Ultimato na série Ciência de Fé Cristã.

A eficiente equipe organizadora (Ana Flávia, Janaína Aguiar e Luis Felipe) e o local escolhido foram fundamentais para a fluidez da programação proposta e cumprida!

Ao final deste grande exercício intelectivo de motivação espiritual, ficam como prêmio desse esforço as novas amizades e a percepção de que outros cristãos com a mesma inquietação epistêmica têm caminhado no mesmo propósito de exercerem o mandato cultural. SOLI DEO GLORIA.

Próximo passo: estabelecer em Sergipe um grupo de estudos da ABC². Que tal?

AD ASTRA PER ASPERA!

A seguir, aspectos da sala de aula:

Mais de 40 pessoas reunidas para a III Semana de Estudos.

A post shared by cristaosnaciencia (@cristaosnaciencia) on

 

OBS: Fotos e vídeo retirados das páginas da ABC² .
<https://www.instagram.com/p/Benzj9oB85J/?taken-by=cristaosnaciencia>
<https://www.facebook.com/cristaosnaciencia/>

2º SINACRIPTO: Comunicação aceita

PARA CONHECER O 2º SINACRIPTO

Recebo com satisfação a notícia de que foi aceita a Comunicação que pretendo apresentar durante o 2º Simpósio Nacional de Estudos Criptojudaicos (SINACRIPTO), a realizar-se de 19 a 21 de junho de 2017, na Universidade Federal de Sergipe.

Na ocasião exporei o tema “LEIA A BÍBLIA E FAÇA ORAÇÃO: A RELIGIOSIDADE TEOSÓFICA DOS JUDEUS CABALISTAS NO SÉC. XVI“. Eis o resumo do que se propõe comunicar:

Este trabalho propõe expor as principais ênfases que marcavam a religiosidade teosófica dos judeus cabalistas no séc. XVI, os quais faziam do estudo de passagens específicas da Torá um método para encontrar significados cabalísticos profundos em sua relação com Deus, fonte primordial da existência. Extraídos esses significados, os fiéis eram conduzidos à prática de orações de sentido místico, esotérico, por meio das quais o judeu cabalista ascendia a esferas superiores do sefirot, ali provocando o descenso de emanações divinas, cujas energias favoreciam a vida do piedoso que as invocasse. Assim, essa investigação busca entender o ethos sefirótico que marca a religiosidade do judeu cabalista, levando-o a crer que possui um total controle de sua vivência terrena, quer pela interpretação da Torá ou pelo exercício de orações sagradas.

A Comunicação será apresentada no Simpósio Temático “Impactos socioculturais da religião e do misticismo”,  conduzido pelos Msc Nilton Santana e o mestrando Genisson Melo (PPGCIR/UFS).

Clicando AQUI você verá mais sobre este importante evento, conforme já divulgado noutras postagens.

AD ASTRA PER ASPERA

Aula no Mestrado em Ciências da Religião / UFS

http://protestantismoemsergipe.blogspot.com.br/

No dia 17 de maio fui gratificado em compartilhar conhecimentos com colegas pesquisadores do Mestrado em Ciências da Religião da UFS. Os alunos gentilmente me ouviram falar sobre o PROTESTANTISMO NO CAMPO RELIGIOSO BRASILEIRO, a convite da Dra. Marina Correa, titular da disciplina. A proposta da Dra. Marina para essa disciplina é mediar exposições de representantes dos diversos elementos componentes do Campo Religioso Brasileiro (CRB). Na oportunidade, os alunos ouvem as características distintivas de cada aspecto do CRB, tiram dúvidas e fortalecem suas análises, o que lhe será útil na produção de suas pesquisas específicas até a conclusão do curso, além do aprendizado que ficará para a carreira acadêmica.

Em minha aula, apresentei elementos distintivos do protestantismo quando do seu nascimento na Europa, a expansão até a América e, finalmente, a chegada ao Brasil. No Brasil, lembramos as tentativas de inserção protestante com a França Antártica e o período do Brasil Holandês. A seguir, descorri sobre como se caracterizavam o protestantismo de imigração e protestantismo de missão, e quais os métodos utilizados para a expansão protestante no Brasil a partir da segunda metade do séc. XIX.

Por fim, enfatizei as características da implantação do protestantismo em Sergipe como microcosmo para o entendimento da expansão nacional, visto que em ambas situações é grande a semelhança de métodos.

No syllabus desta página está expressa a EMENTA proposta para essa aula.

Minicurso A CABALA DE ABRAVANEL no 2º Sinacripto

Está confirmado que ministrarei o minicurso A CABALA DE ABRAVANEL, uma proposta integrante do 2º SINACRIPTO (Simpósio Nacional de Estudos Criptojudaicos), a ocorrer de 19 a 21 de junho deste ano, na Universidade Federal de Sergipe.

O minicurso A CABALA DE ABRAVANEL versará sobre a investigação do duplo modo de escrita, exotérico e esotérico, com o qual Judá Abravanel construiu sua opus magnum, os Diálogos de Amor. Neste livro, destacadamente o Diálogo Terceiro, está presente a construção da identidade sefardita da família Abravanel, conectando-a implicitamente com os arcanos de sua ancestralidade judaica e explicitamente com a cultura renascentista onde estava inserida após o desterro da Península Ibérica, estabelecendo assim uma mediação cultural com seu tempo enquanto utilizava-se da Cabala para alimentar uma comunicação subterrânea com os judeus de todas as épocas. Para saber mais, acesse o syllabus do minicurso.

O SINACRIPTO é uma iniciativa do Grupo de Pesquisa Diáspora Atlântica dos Sefarditas (GPDAS), sob a coordenação do prof. Dr. Marcos Silva. Esta segunda edição, tão prestigiada e enriquecida quanto a primeira, tem por tema “Criptojudaismo Tardio e Identidade Judaica”, e realizar-se-á com o apoio das

Fonte da Imagem: https://pt.wikipedia.org/wiki/Sefirot

seguintes entidades: Universidade Federal de Sergipe, Programa de Pós-Graduação em História da UFS, Cátedra de Estudos Sefarditas Alberto Benveniste, Universidade de Lisboa, Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. A dinâmica dos trabalhos contará com programação distribuída entre Simpósios Temáticos, Comunicações, Minicursos, e Conferências com palestrantes do Brasil e exterior.

Até lá.

10 de março de 1557, o primeiro culto protestante das Américas.

Hoje completam-se 460 anos em que se celebrou o primeiro culto protestante no continente americano. Aconteceu no dia 10 de março de 1557, na ilha Serigy, hoje chamada de Ilha Villegaignon, localizada na Baía da Guanabara, atual estado do Rio de Janeiro.http://sergipano.blogspot.com.br/

A expedição francesa determinada em estabelecer no Brasil uma colônia de tradição huguenote (protestantes franceses) aportara em terras brasileiras no dia 11 de outubro de 1555, era a chamada França Antártica.

Logo depois, da França e de Genebra foram enviados pastores protestantes de tradição reformada, sob a orientação de João Calvino. Com o apoio dessa equipe de reforço espiritual a nova colônia reunira-se no dia 10 de março de 1557 para prestar o primeiro culto protestante das Américas. Da cerimônia reformada constou a exposição bíblica do Salmo 27.4, o cântico do Salmo 5 em métrica genebrina e ministração da Ceia do Senhor (distribuição de pão e vinho consagrados como corpo e sangue de Jesus Cristo, segundo suas ordenanças registradas nos Evangelhos).

Mas essa celebração religiosa ocorrida em terras tropicais tem muito mais a dizer para a história da religiosidade protestante.  Ela foi ponto de partida para intrigantes acontecimentos. No arquivo do blog SERgipano podem ser resgatados três registros. Eles dão conta

  1. Registro litúrgico do primeiro culto protestante nas Américas;
  2. As primeiras discordâncias teológicas nas Terras de Vera Cruz, motivadas pela interpretação dos elementos representativos do corpo e sangue de Jesus Cristo na Santa Ceia, reverberando tema recentemente discutido na Europa, por meio do qual se estabelecera distinção entre romanistas, luteranos e reformados;
  3. As intenções ocultas de Villegaignon, que se fazendo protestante em França, declarava-se seguidor de Roma em Brasil.
  4. A prisão de 4 huguenotes (Jean du Bourdel, Mattieu Vernueil, Pierre Bourbon e André la Fon) que não conseguiram retornar em tempo para a Europa e foram presos quando o navio que os levaria naufragou no Rio de Janeiro;
  5. 3 dos náufragos foram condenados à morte (André la Fon fora poupado por exercer o ofício indispensável da alfaiataria). Presos, tiveram 12 horas para, sem auxílio de livros de consulta, produzirem um documento que declarasse sua fé. O resultado foi a confecção da Confissão de Fé da Guanabara, o primeiro documento teológico das Américas, claramente articulado em argumentação lógica de fundamentação bíblica.
  6. O sacrifício dos chamados Mártires da Guanabara. Mattieu Vernueil e Pierre Bourbon foram lançados de alto penhasco rumo ao mar. Jean de Bourdel (também chamado Jean de Balleur/Bollé ?) conseguira escapar da prisão.
  7.  Por estas ações, Villegaignon passou a ser conhecido como o Caim das Américas.
  8. O papel ignóbil de José de Anchieta prontificando-se a ser carrasco do mártir Jean de Bourdel, que fora descoberto e preso em Salvador, sendo transportado para a capitania de São Vicente, onde Anchieta sustentou a corda em seu pescoço. Este ato sem misericórdia tornou Anchieta o Algoz de São Vicente.Confira essas postagens:

UMA HISTÓRIA DE FÉ POUCO CONTADA: Por ocasião dos 451 anos da França Antártica

França Antártica: 452 anos do primeiro culto das Américas

O Caim das Américas, o Algoz de São Vicente e os Mártires da Guanabara

 

Confira outras postagens do Blog SERgipano

REFORMA500: Comunicação aceita

Como divulgado, o GPCOR/UFS promoverá o Simpósio Reforma Protestante 500 anos depois: fontes e repercussões. Entre os debates e reflexões, terá lugar uma mostra das pesquisas do Núcleo de Pós-Graduação em Ciências da Religião da UFS.

Relacionando minha pesquisa com o tema principal, submeti uma Comunicação à Comissão Organizadora. Hoje chegou-me a confirmação de que a mesma está aceita para ser exposta no evento. Eis a boa-nova:

Prezado Gilmar Araujo Gomes

Temos a satisfação de informar que sua comunicação O homem como microscosmo e imagem do Universo: A antropologia de Judá Abravanel (Leão Hebreu) nos Diálogos de Amor foi aprovada para apresentação na Mostra de Pesquisa Discente do Núcleo de Graduação e do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Religião da UFS, que será realizada durante o 2º Ciclo de Estudos do Grupo de Pesquisa Correlativos (GPCOR) nos dias 14 e 15 de março de 2017. Sua apresentação está programada para o dia 15 de março. Contudo, ressaltamos a importância da sua presença em toda a programação do evento.

Informamos ainda que a comissão organizadora da Mostra está discutindo a possibilidade de uma publicação, em livro, das comunicações apresentadas. Assim, sugerimos que, desde já, prepare um texto que, posteriormente, poderá compor esta publicação.

A programação e o link para inscrição no evento constam em nosso blog: https://gpcor.wordpress.com/2017/02/22/2o-ciclo-de-estudos-gpcor/

Agradecemos sua participação, desejando que tenhamos um profícuo e estimulante evento.

Atenciosamente,

Comissão organizadora do 2º Ciclo de Estudos do GPCOR

 

Assim, vamos terminar o texto. AD ASTRA PER ASPERA.