Aula no Mestrado em Ciências da Religião / UFS

http://protestantismoemsergipe.blogspot.com.br/

No dia 17 de maio fui gratificado em compartilhar conhecimentos com colegas pesquisadores do Mestrado em Ciências da Religião da UFS. Os alunos gentilmente me ouviram falar sobre o PROTESTANTISMO NO CAMPO RELIGIOSO BRASILEIRO, a convite da Dra. Marina Correa, titular da disciplina. A proposta da Dra. Marina para essa disciplina é mediar exposições de representantes dos diversos elementos componentes do Campo Religioso Brasileiro (CRB). Na oportunidade, os alunos ouvem as características distintivas de cada aspecto do CRB, tiram dúvidas e fortalecem suas análises, o que lhe será útil na produção de suas pesquisas específicas até a conclusão do curso, além do aprendizado que ficará para a carreira acadêmica.

Em minha aula, apresentei elementos distintivos do protestantismo quando do seu nascimento na Europa, a expansão até a América e, finalmente, a chegada ao Brasil. No Brasil, lembramos as tentativas de inserção protestante com a França Antártica e o período do Brasil Holandês. A seguir, descorri sobre como se caracterizavam o protestantismo de imigração e protestantismo de missão, e quais os métodos utilizados para a expansão protestante no Brasil a partir da segunda metade do séc. XIX.

Por fim, enfatizei as características da implantação do protestantismo em Sergipe como microcosmo para o entendimento da expansão nacional, visto que em ambas situações é grande a semelhança de métodos.

No syllabus desta página está expressa a EMENTA proposta para essa aula.

Minicurso A CABALA DE ABRAVANEL no 2º Sinacripto

Está confirmado que ministrarei o minicurso A CABALA DE ABRAVANEL, uma proposta integrante do 2º SINACRIPTO (Simpósio Nacional de Estudos Criptojudaicos), a ocorrer de 19 a 21 de junho deste ano, na Universidade Federal de Sergipe.

O minicurso A CABALA DE ABRAVANEL versará sobre a investigação do duplo modo de escrita, exotérico e esotérico, com o qual Judá Abravanel construiu sua opus magnum, os Diálogos de Amor. Neste livro, destacadamente o Diálogo Terceiro, está presente a construção da identidade sefardita da família Abravanel, conectando-a implicitamente com os arcanos de sua ancestralidade judaica e explicitamente com a cultura renascentista onde estava inserida após o desterro da Península Ibérica, estabelecendo assim uma mediação cultural com seu tempo enquanto utilizava-se da Cabala para alimentar uma comunicação subterrânea com os judeus de todas as épocas. Para saber mais, acesse o syllabus do minicurso.

O SINACRIPTO é uma iniciativa do Grupo de Pesquisa Diáspora Atlântica dos Sefarditas (GPDAS), sob a coordenação do prof. Dr. Marcos Silva. Esta segunda edição, tão prestigiada e enriquecida quanto a primeira, tem por tema “Criptojudaismo Tardio e Identidade Judaica”, e realizar-se-á com o apoio das

Fonte da Imagem: https://pt.wikipedia.org/wiki/Sefirot

seguintes entidades: Universidade Federal de Sergipe, Programa de Pós-Graduação em História da UFS, Cátedra de Estudos Sefarditas Alberto Benveniste, Universidade de Lisboa, Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. A dinâmica dos trabalhos contará com programação distribuída entre Simpósios Temáticos, Comunicações, Minicursos, e Conferências com palestrantes do Brasil e exterior.

Até lá.

10 de março de 1557, o primeiro culto protestante das Américas.

Hoje completam-se 460 anos em que se celebrou o primeiro culto protestante no continente americano. Aconteceu no dia 10 de março de 1557, na ilha Serigy, hoje chamada de Ilha Villegaignon, localizada na Baía da Guanabara, atual estado do Rio de Janeiro.http://sergipano.blogspot.com.br/

A expedição francesa determinada em estabelecer no Brasil uma colônia de tradição huguenote (protestantes franceses) aportara em terras brasileiras no dia 11 de outubro de 1555, era a chamada França Antártica.

Logo depois, da França e de Genebra foram enviados pastores protestantes de tradição reformada, sob a orientação de João Calvino. Com o apoio dessa equipe de reforço espiritual a nova colônia reunira-se no dia 10 de março de 1557 para prestar o primeiro culto protestante das Américas. Da cerimônia reformada constou a exposição bíblica do Salmo 27.4, o cântico do Salmo 5 em métrica genebrina e ministração da Ceia do Senhor (distribuição de pão e vinho consagrados como corpo e sangue de Jesus Cristo, segundo suas ordenanças registradas nos Evangelhos).

Mas essa celebração religiosa ocorrida em terras tropicais tem muito mais a dizer para a história da religiosidade protestante.  Ela foi ponto de partida para intrigantes acontecimentos. No arquivo do blog SERgipano podem ser resgatados três registros. Eles dão conta

  1. Registro litúrgico do primeiro culto protestante nas Américas;
  2. As primeiras discordâncias teológicas nas Terras de Vera Cruz, motivadas pela interpretação dos elementos representativos do corpo e sangue de Jesus Cristo na Santa Ceia, reverberando tema recentemente discutido na Europa, por meio do qual se estabelecera distinção entre romanistas, luteranos e reformados;
  3. As intenções ocultas de Villegaignon, que se fazendo protestante em França, declarava-se seguidor de Roma em Brasil.
  4. A prisão de 4 huguenotes (Jean du Bourdel, Mattieu Vernueil, Pierre Bourbon e André la Fon) que não conseguiram retornar em tempo para a Europa e foram presos quando o navio que os levaria naufragou no Rio de Janeiro;
  5. 3 dos náufragos foram condenados à morte (André la Fon fora poupado por exercer o ofício indispensável da alfaiataria). Presos, tiveram 12 horas para, sem auxílio de livros de consulta, produzirem um documento que declarasse sua fé. O resultado foi a confecção da Confissão de Fé da Guanabara, o primeiro documento teológico das Américas, claramente articulado em argumentação lógica de fundamentação bíblica.
  6. O sacrifício dos chamados Mártires da Guanabara. Mattieu Vernueil e Pierre Bourbon foram lançados de alto penhasco rumo ao mar. Jean de Bourdel (também chamado Jean de Balleur/Bollé ?) conseguira escapar da prisão.
  7.  Por estas ações, Villegaignon passou a ser conhecido como o Caim das Américas.
  8. O papel ignóbil de José de Anchieta prontificando-se a ser carrasco do mártir Jean de Bourdel, que fora descoberto e preso em Salvador, sendo transportado para a capitania de São Vicente, onde Anchieta sustentou a corda em seu pescoço. Este ato sem misericórdia tornou Anchieta o Algoz de São Vicente.Confira essas postagens:

UMA HISTÓRIA DE FÉ POUCO CONTADA: Por ocasião dos 451 anos da França Antártica

França Antártica: 452 anos do primeiro culto das Américas

O Caim das Américas, o Algoz de São Vicente e os Mártires da Guanabara

 

Confira outras postagens do Blog SERgipano

REFORMA500: Comunicação aceita

Como divulgado, o GPCOR/UFS promoverá o Simpósio Reforma Protestante 500 anos depois: fontes e repercussões. Entre os debates e reflexões, terá lugar uma mostra das pesquisas do Núcleo de Pós-Graduação em Ciências da Religião da UFS.

Relacionando minha pesquisa com o tema principal, submeti uma Comunicação à Comissão Organizadora. Hoje chegou-me a confirmação de que a mesma está aceita para ser exposta no evento. Eis a boa-nova:

Prezado Gilmar Araujo Gomes

Temos a satisfação de informar que sua comunicação O homem como microscosmo e imagem do Universo: A antropologia de Judá Abravanel (Leão Hebreu) nos Diálogos de Amor foi aprovada para apresentação na Mostra de Pesquisa Discente do Núcleo de Graduação e do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Religião da UFS, que será realizada durante o 2º Ciclo de Estudos do Grupo de Pesquisa Correlativos (GPCOR) nos dias 14 e 15 de março de 2017. Sua apresentação está programada para o dia 15 de março. Contudo, ressaltamos a importância da sua presença em toda a programação do evento.

Informamos ainda que a comissão organizadora da Mostra está discutindo a possibilidade de uma publicação, em livro, das comunicações apresentadas. Assim, sugerimos que, desde já, prepare um texto que, posteriormente, poderá compor esta publicação.

A programação e o link para inscrição no evento constam em nosso blog: https://gpcor.wordpress.com/2017/02/22/2o-ciclo-de-estudos-gpcor/

Agradecemos sua participação, desejando que tenhamos um profícuo e estimulante evento.

Atenciosamente,

Comissão organizadora do 2º Ciclo de Estudos do GPCOR

 

Assim, vamos terminar o texto. AD ASTRA PER ASPERA.

REFORMA500: 2º Ciclo de Estudos do GPCOR/UFS

Entre as muitas reflexões provocadas pelos 500 anos da Reforma Protestante, assumindo 31 de outubro de 1517 como marco histórico, estará o 2º Ciclo de Estudos do GPCOR (Grupo de Pesquisa Correlativos: Estudos em Cultura e Religião) vinculado ao Núcleo de Pós-Graduação em Ciências da Religião da UFS.

Confira o cartaz e leia a seguir a programação. O evento é gratuito com certificação emitida pela Universidade Federal de Sergipe.

Para fazer sua INSCRIÇÃO clique aqui

Este que vos escreve apresentará Comunicação no dia 15 de março. Ver-nos-emos  lá.

2-ciclo-gpcor

O 2o Ciclo de Estudos do GPCOR visa publicizar resultados de atividades de ensino, pesquisa e extensão promovidas por meio do Grupo de Pesquisa Correlativos: Estudos em Cultura e Religião (GPCOR), que integra a Linha de Pesquisa Fundamentos e Críticas das Ideias Religiosas do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Religião da Universidade Federal de Sergipe.

O tema “Reforma Protestante, 500 anos depois: fontes e repercussões” alude ao marco do início da reforma religiosa empreendida por Martim Lutero, quando da publicação das 95 teses contra a prática de indulgências, em Wittenberg, Alemanha, em 31 de outubro de 1517. Do ponto de vista histórico, esse evento se tornou axial para as profundas transformações sociais e políticas que marcaram a Europa a partir do século XVI. Continuar lendo REFORMA500: 2º Ciclo de Estudos do GPCOR/UFS

Defesa da Dissertação, fim de uma gratificante etapa!

Cortesia: Ma. Isis Garcia (GPDAS/UFS)
Dra. Marina Corrêa ensinando pela gentileza.

Deu-se ontem a etapa que inaugura a conclusão do Mestrado em Ciências da Religião na Universidade Federal de Sergipe que iniciei em 2015. A Defesa do tema pesquisado perante qualificada banca examinadora culmina os esforços que caracterizam o labor acadêmico e é, por extensão, o aprimoramento de minha formação em Teologia na Universidade Presbiteriana Mackenzie

Passada esta etapa, ficam as gratas recordações. Do companheirismo do Grupo de Pesquisa Diáspora Atlântica dos Sefarditas (GPDAS), da generosidade do Prof.  Dr. Marcos Silva que me apresentou a primorosa obra de Judá Abravanel, da paciência e apoio do Prof. Dr. Cícero Cunha na orientação de um aluno que lutava contra os prazos, a gentileza da Profa. Dra. Marina Corrêa que separou tempo valioso de seu pós-doutorado para nos instruir metodologicamente e dividir conselhos preciosos. No exame, a banca foi enriquecida pelas proveitosas análises do Prof. Dr. Marcos Roberto Costa, examinador externo ao programa.

Leitura da ata. Agora é tudo ou nada.
Família é família

Nossa turma, a segunda formada no PPGCIR/UFS é um capítulo significativo nesta história, sendo responsável pelas melhores lembranças nessa caminhada marcada, principalmente, pelo encorajamento mútuo.

Sempre termina em pizza. rsrsrs

A família, com seu apoio incondicional, e os verdadeiros amigos,  que nos dias de angústia se fizeram irmãos, partilham desta vitória e estão em minhas orações.

Vencida esta etapa (ufa!! inspira, expira…). Sigamos.

Seja Cristo, superno amor, exaltado!

Fonte: https://www.youtube.com/watch?v=5waZlgYdH7A

Defesa da dissertação intitulada “A Teoria do Amor de Judá Abravanel (Leão Hebreu) nos Diálogos de Amor” perante banca examinadora do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Religião da Universidade Federal de Sergipe (PPGCiR – UFS), ocorrida em 20/02/2017.

Banca Examinadora:
Prof. Dr. Marcos Roberto Costa (UFPE)
Prof. Dr. Marcos Silva (UFS)
Prof. Dr. Cícero Cunha Bezerra (UFS)

EBENÉZER.

Demônico em Paul Tillich – artigo publicado

Publicou-se hoje na Correlatio, artigo que escrevi sobre O Demônico como Sagrado Antidivino, uma categoria na filosofia da religião do teólogo alemão Paul Tillich. O  texto abrange prioritariamente a fase alemã do filósofo luterano, período menos estudado do que a fase desse acadêmico nos EUA, para onde emigrou após oferecer oposição ao nazismo que crescia em seu país natal.

O resumo do artigo especifica melhor seu propósito:

Neste artigo serão apresentadas as inter-relações entre os elementos que caracterizam as categorias demônico e divino que habitam o sagrado como  elemento essencial da religião. No interior desta relação do sagrado, o elemento demônico encontra-se em oposição ao divino, adquirindo uma característica antidivina, conquanto de mesma essência. Pretende-se comparar a significação dos termos em suas exposições de origem e como Paul Tillich (1886-1965) utiliza-se disto na construção de sua Filosofa da Religião. Continuar lendo Demônico em Paul Tillich – artigo publicado

Quando o amor cansa, mas satisfaz.

Depois de dois anos de labuta, aulas, viagens, perrengues e muito aprendizado, falta menos de um mês para a defesa da pesquisa de mestrado. Ufa… Concluindo a dissertação sobre a Teoria do Amor de Judá Abravanel, olho para trás e avalio que valeu a pena. Por causa de tudo: a labuta, as aulas, as viagens, os perrengues e o muito aprendizado, justamente por causa de tudo isto, posso dizer que o amor cansa, mas satisfaz.

Banca de DEFESA: GILMAR ARAUJO GOMES

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: GILMAR ARAUJO GOMES
DATA: 20/02/2017
HORA: 16:30
LOCAL: Auditório de Filosofia
TÍTULO: JUDAISMO E LITERATURA: A TEORIA DO AMOR DE JUDÁ ABRAVANEL (LEÃO HEBREU) NOS DIÁLOGOS DE AMOR
PALAVRAS-CHAVES: Abravanel, Judaismo, Amor, Ciências da Religião.
PÁGINAS: 110
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Teologia

omnia ex uno